Artigos
Compartilhar
Cresce número de presas e de reincidentes em MT

Fonte: A Gazeta

 

O número de mulheres envolvidas com o crime em Mato Grosso e que acabaram presas aumentou 8% este ano. Os dados divulgados pelo Ministério da Justiça (MJ) revelam que até dezembro de 2010, 1.255 mulheres com idades entre 18 a 60 cumpriam pena no Estado. Este ano, o número subiu para 1.358 presas. A estatística do órgão federal contabilizou os dados até junho deste ano.

O balanço mostra ainda que a maioria das mulheres foi detida devido a crimes relacionados a entorpecentes. Das 1,3 mil presas atualmente, 1.173 faziam parte de grupos que traficavam drogas nacional e internacionalmente. Em segundo lugar no ranking estão as detentas que atuavam com furtos (25) e, em seguida, as que praticavam roubos (17). Já o restante praticou crimes como latrocínio, homicídio, formação de quadrilha, contrabando e outros.

Conforme o diretor da Penitenciária Feminina Ana Maria do Couto May, em Cuiabá, Domingos Sávio Grosso, além do número de detentas ter aumentado no Estado, a reincidência é algo que também vem crescendo. "Nos últimos meses, o retorno destas presas para a unidade prisional foi de 30%. Na maioria dos casos, elas retornam pelos mesmos motivos".

Segundo o secretário de Justiça e Direitos Humanos de Mato Grosso (Sejudh), Paulo Lessa, o aumento do número de mulheres na prisão se deve, principalmente, ao fato delas ainda se envolverem no transporte de drogas. "Muitas dessas mulheres acabam presas pois são as chamadas mulas, ou seja, aquelas que transportam o entorpecente de um local para outro".

Atualmente, na penitenciária Ana Maria do Couto May, cerca de 300 mulheres dividem um espaço destinado apenas a 180 presas, porém Grosso destaca que todas estão "bem acomodadas". "Elas desenvolvem trabalho dentro da unidade, como culinária, costura, limpeza e existem algumas que já trabalham até fora do presídio".

Lessa ainda informou que para o próximo ano está prevista a construção de 3 Centros de Detenção Provisória (CDP), o que aumentará em mil novas vagas o cárcere feminino. "A expectativa é dar início aos trabalhos já no início do próximo ano. Estas unidades deverão ser construídas em municípios pólos do Estados".

O secretário informou que ao todo serão gastos R$ 20 milhões para a construção destes locais. A verba é do governo federal. Lessa cita ainda que a presidente Dilma Rousseff já comunicou que Mato Grosso receberá outros R$ 19 milhões destinados à construção de um novo presídio masculino e reformas de outras unidades no interior do Estado. Segundo ele, esta unidade prisional para homens será construída em Cuiabá, porém o local ainda não foi escolhido. É preciso uma área de no mínimo 20 hectares, pois esta unidade prisional terá espaço para receber 3 mil presos e ainda abrigar uma pequena indústria para que os detentos possam desenvolver atividades.

Questionado sobre se o aumento de vagas previsto para os anos seguintes seria o necessário, Lessa informou que a construção do novo presídio e dos 3 CDPs irá amenizar a situação do sistema prisional.