Artigos
Compartilhar
Proibição de uso de celulares em ambientes fechados ainda não é lei no Recife, mas causa polêmica

O uso de aparelhos celulares e equipamentos eletrônicos continua gerando polêmica. Durante a pré-estreia do filme Os Vingadores, da Marvel, na noite dessa terça-feira (24), os quatrocentos convidados tiveram as bolsas revistadas e os aparelhos celulares recolhidos. De acordo com a produtora de lançamentos, a medida é uma determinação de segurança mundial da Marvel e pretende evitar a pirataria. “A prática é usada por todas as distribuidoras de filmes e visa proteger os filmes contra a reprodução, que é ilegal”, ressaltou a produtora Andréa Mota. Ela disse, ainda, que a ação é restrita à pré-estreia e que os interessados em assistir Os Vingadores, a partir desta sexta-feira (27), poderão ver o filme portando o celular.

Para a assessora de comunicação do PROCON-Recife, Heide Esteves, o recolhimento dos celulares é inconstitucional e fere o inciso 54 do Artigo 5° da Constituição Federal, que diz: “Ninguém será privado à liberdade ou de seus bens sem os devidos processos legais”. Segundo Heide Esteves, não há uma lei na capital pernambucana que proíba o uso de celulares em ambientes fechados como cinemas, teatros e escolas. “Os organizadores do evento não tiveram a intenção de resguardar a qualidade do serviço prestado, e sim de evitar a pirataria, mas isso não justifica o que fizeram”, explicou Heide Esteves.

O professor Mário Ferreira ficou indignado com a medida, chamada por ele de abusiva. "Nunca tinha sido obrigado a entregar meu celular. No avião, no banco e até em provas de concursos tenho que desligar o aparelho, mas ele fica comigo". Ele conta que pensou em desistir de ver o filme, atitude adotada por alguns dos presentes. "Passei mais de duas horas na fila e, por isso, achei melhor guardar o celular no carro, mas me senti muito constragido em ter que, ainda assim, abrir minha mochila e passar pelo detector de metal. Não sou bandido, sou um cidadão", exclama. O professor chama a atenção para as restrições descritas no verso do convite da pré-estreia de Os Vingadores que não fala sobre a exigência de entregar os aparelhos.

A jornalista Neusa Barbosa, editora do portal Cineweb, também foi contra a medida e enviou, há cerca de uma semana, às assessoras da Disney, em São Paulo, uma carta. Ao longo do texto, Neusa Barbosa cita os procedimentos tomados durante a cabine de imprensa de “Os Vingadores”, ocorrida na terça-feira (17), no Cinemark Market Place, em São Paulo. De acordo com Neusa, os jornalistas também foram obrigados a retirar todos os objetos das bolsas enquanto os funcionários fotografaram toda a ação. “Fomos forçados a tirar delas nossas chaves, canetas metálicas, espelhinhos, abrir estojos de óculos, como se fôssemos adentrar uma penitenciária, não uma sala de cinema”, detalhou a jornalista.

E não é só no cinema que o celular têm sido encarado como vilão. Restrições quanto ao uso de aparelhos também são uma realidade em ambientes como teatro, bibliotecas, bancos e escolas e contam com leis municipais em várias cidades do País.


Leia mais: http://ne10.uol.com.br/canal/cotidiano/grande-recife/noticia/2012/04/25/proibicao-de-uso-de-celulares-em-ambientes-fechados-ainda-nao-e-lei-no-recife-mas-causa-polemica-339436.php


Portal Ne 10