Artigos
Compartilhar
Goiana em versos e prosa

O juiz de Direito pernambucano, poeta e escritor Josué Fonseca de Sena, acaba de lançar a sua primeira coletânea de poesias e prosas, exaltando significativamente a sua terra natal (Goiana-PE), obra literária que merece destaque no cenário nacional, quer pelo seu conteúdo histórico, quer pela primazia dos versos e sonetos parnasianos que decifram magistralmente o passado, o presente e o futuro do universo humanístico e histórico, que ainda hoje sobrevivem magnificamente no seio da vistosa cidade encravada na divisa entre Pernambuco e Paraíba. Sua “Goiana em versos e prosa” – aliás, a nossa Goiana – ilustrado pelo próprio autor, surge como forma de resgatar e de dignificar o cotidiano de pessoas e de passagens rurais e urbanas que efetivamente engrandecem todos os filhos e admiradores da terra de Luiz do “Buraco da Jia”.

Em versos e prosas, de fácil assimilação, o autor traz um apanhado gigantesco da sua origem familiar, embutindo um rol apaziguador das suas reminiscências pessoais, logrando uma paisagem histórica dos personagens que fizeram e ainda fazem parte de um tempo vivido quando criança e adolescente, Por vezes descrevendo seus eventos religiosos e festivos, evocando suas ruas e monumentos tradicionais (instituições públicas, igrejas e prédios históricos), revigorando na alma do leitor os costumes e manifestações artísticas e populares da sua querida Goiana. Em sextilhas, Josué conseguiu invocar um contingente extraordinário do folclore popular que tanto enobrece os seus carnavais e as suas festividades religiosas. Quem nunca conheceu de perto os personagens e segredos do povo goianense, com toda certeza pela simples leitura da sua obra verá seus anseios realizados.
A Goiana dos Nunes Machado, dos seus recantos pitorescos, de Euzébio Martins dos Santos, Osvaldo Rabelo e de tantos outros históricos personagens, realçam, sobremaneira, a laboriosa pesquisa concretizada em sua obra poética e costumeira do seu povo.

Ao lado da riqueza dos seus versos rimados, vislumbra-se na obra literária do autor uma preocupação inusitada de transparecer o seu amor pela terra natal, sem abdicar, em momento algum, da imensa saudade que impera no coração e na alma desse hoje escritor que dignifica a magistratura pernambucana. É aqui que reside o que de mais sublime existe nas 560 páginas do seu livro. Com convicção, após a leitura do seu conteúdo, ouso afirmar que seus versos brotaram no correr da pena – quase sempre – como forma de elogiar seus conterrâneos e personagens que por sua terra deixaram e deixam resquícios de uma imensa história que deve ser exaltada e proclamada por todos e por tudo.
A citação ao magistrado Nildo Nery dos Santos,outro filho de Goiana, que logrou a presidência do Tribunal de Justiça de Pernambuco, dignificou-me diretamente, pois a amizade que me une ao Dr. Nildo vem dos tempos em que fui seu aluno na Faculdade de Direito. Depois de algum tempo, voltei a conviver com ele, agora como diretor da tradicional Escola Superior da Magistratura de Pernambuco (1988), que por certo formou e forma muitos dos bons juízes que engrandecem o Estado de Pernambuco.

Já juiz de Direito, o Dr. Nildo permaneceu compartilhando da minha trajetória judicante, ora dando exemplos de dignidade humana, ora como grande jurista e, como era de se esperar, mesmo abandonando a magistratura, prossegue com o seu vultuoso trabalho de amparo ao menor carente. A Exaltação que o autor faz ao Dr. Nildo Nery, em versos e em prosas, já seria o suficiente para consagrar a obra literária de Josué.